Desmistificando o CPAP

A Síndrome da Apnéia Obstrutiva do Sono (SAOS) requer tratamento assim que identificada. Dentre as diversas opções no tratamento, uma das mais seguras e eficazes é o uso do CPAP (sigla em inglês para pressão positiva contínua nas vias aéreas)

CPAP é um dispositivo composto basicamente de três componentes:   um gerador de ar, um tubo de ar e uma máscara (nasal ou oronasal). O gerador de ar faz o ar circular através do tubo, passando pelo nariz até a garganta, onde a leve pressão positiva mantém abertas as vias respiratórias. Trata-se de um dispositivo pneumático que evita o colapso das vias aéreas superiores.

Ao restabelecer a abertura da via aérea, o uso do CPAP previne os despertares e a fragmentação do sono, promovendo um sono reparador e uma redução significativa de sintomas como cansaço e sonolência diurna. As demais consequências da Apnéia do Sono, como pressão alta, nictúria (hábito de urinar à noite), doenças cardíacas (arritmia, angina e infarto) e doença cerebrovascular (“derrame”) também podem ser prevenidas com a terapia com CPAP.

As principais indicações do uso do CPAP no tratamento da Apnéia Obstrutiva do Sono são os pacientes com SAOS moderada a grave e pacientes com sonolência excessiva diurna em consequência da SAOS, independente da sua gravidade. O uso do CPAP também pode ser considerado nos casos de SAOS leve e ronco primário. Após a prescrição do equipamento pelo médico otorrinolaringologista, a escolha da máscara deve ser feita pelo paciente, e esta deve ser confortável o suficiente desde que não ocorra vazamento.

Tipos de CPAP:

CPAP (pressão de ar positiva contínua) fornece uma pressão contínua, cujo nível é determinado pelo especialista em sono. É uma pressão mínima que é necessária para eliminar a obstrução. Esse método é comumente chamado de “CPAP fixo” porque a pressão é sempre a mesma.

APAP: (pressão automática) fornece uma pressão que se ajusta continuamente a cada respiração, proporcionando a menor pressão de ar necessária para manter as vias aéreas abertas e evitar obstruções. Isso também é conhecido como terapia de auto-CPAP ou CPAP automático. Esta terapia é para pacientes cujas necessidades variam, devido a medicação, álcool, alergias ou uma mudança de posição durante o sono.

BIPAP: oferece dois níveis de pressão: um quando você inala (pressão inspiratória) e o outro quando você expira (pressão expiratória). Este tipo de tratamento é usado para pessoas que não toleram a terapia com CPAP ou que necessitam de ventilação assistida (ou seja, pessoas com doença pulmonar obstrutiva crônica)

O desafio atual no tratamento da SAOS com o CPAP é entender suas principais indicações e desmistificar o seu uso. A aderência ao tratamento depende da disposição do paciente em tratar a Apnéia do Sono e do adequado acompanhamento do paciente no processo de adaptação do aparelho. Uma pressão de tratamento adequada, um sistema cômodo com uma máscara bem adaptada e uma educação detalhada marcam a diferença entre o êxito e o fracasso para muitos usuários de CPAP.

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.