Fale conosco pelo WhatsApp

Sinusite: O que é, Causas e Tratamentos

Doença causa sintomas como dor, febre, tosse e coriza e deve ser tratada assim que os primeiros sinais aparecerem para evitar o seu agravamento

Sinusite é uma inflamação que ocorre nas mucosas dos seios da face, região do crânio formada por cavidades ósseas ao redor do nariz, das maçãs do rosto e dos olhos. Os seios da face são revestidos por uma mucosa semelhante à do nariz, rica em glândulas produtoras de muco e coberta por cílios dotados de movimentos vibráteis que conduzem o material estranho retido no muco para a parte posterior do nariz, com a finalidade de eliminá-lo.

Alterações anatômicas que impedem a drenagem da secreção, e processos infecciosos ou alérgicos, que provocam inflamação das mucosas e facilitam a instalação de germes, são fatores que predispõem a sinusite. 

A sinusite pode ser dividida entre aguda ou crônica. A aguda pode ser viral ou bacteriana, dura mais de 10 dias e pode vir acompanhada de dor de cabeça e eliminação de secreção purulenta nasal. A sinusite crônica caracteriza-se por persistência dos sintomas e sinais por mais de 12 semanas.

Sintomas da sinusite

Os principais sintomas da sinusite aguda e da manifestação crônica incluem:

Sinusite aguda

  • Dor de cabeça na área do seio da face mais comprometido. Este incômodo pode ser intenso, manifestando-se como pontada, pulsátil ou se apresentar como uma sensação de pressão ou peso na cabeça;
  • Obstrução nasal com presença de secreção amarela ou esverdeada, sanguinolenta, que dificulta a respiração;
  • Febre;
  • Cansaço;
  • Coriza;
  • Tosse;
  • Dores musculares;
  • Perda de apetite.

Sinusite crônica

Os sintomas são os mesmos da sinusite aguda, porém variam muito de intensidade e o paciente pode não apresentar dor nos seios da face e nem febre. A tosse costuma ser o sintoma preponderante e ocorre com mais frequência à noite, aumentando de intensidade quando a pessoa se deita porque a secreção escorre pela parte posterior das fossas nasais e irrita as vias aéreas, disparando o mecanismo de tosse.

Acessos de tosse também podem ocorrer pela manhã com intensidade, logo que a pessoa se levanta, e tendem a desaparecer no decorrer do dia. Quando a sinusite se torna crônica, os sintomas são permanentes. A pessoa tem obstrução nasal, catarro amarelo-esverdeado e sanguinolento e dificuldade para eliminar secreções.

Como é feito o diagnóstico da sinusite?

O diagnóstico da sinusite deve ser feito por um otorrinolaringologista. Esse especialista irá avaliar o histórico clínico do paciente e fazer um exame físico com base nos sintomas relatados. Para a confirmação do diagnóstico, podem ser solicitados exames mais específicos, tais como:

  • Endoscopia nasal;
  • Videonasolaringoscopia;
  • Tomografia computadorizada;
  • Teste de alergia;
  • Coleta das secreções do nariz.

Tratamento da sinusite

A escolha pelo tratamento depende do quadro apresentado pelo paciente e do tipo de sinusite. A sinusite aguda pode ser curável, na maioria das vezes, com algum medicamento. Porém, quando ela se torna crônica, em muitos casos faz-se necessária uma investigação completa com exames de imagem, acompanhamento médico e, em casos selecionados, pode ser necessário realizar um procedimento cirúrgico, chamado sinusectomia.

A sinusectomia visa corrigir a alteração nos seios nasais que impede o organismo de eliminar as secreções de maneira natural. O procedimento faz com que os seios nasais permaneçam abertos para drenar possíveis acúmulos de muco. Além disso, a intervenção visa facilitar a penetração de medicações e de soro fisiológico, auxiliando assim na recuperação e prevenção de novos processos inflamatórios.

Ela é indicada nos seguintes casos:

  • Para pacientes que apresentam episódios recorrentes de sinusite;
  • Para aqueles em que o tratamento medicamentoso já não é capaz de aliviar os sintomas da sinusite;
  • Quando a inflamação é decorrente de problemas anatômicos — como presença de pólipos nasais, desvio de septo e bloqueios ou estreitamento das cavidades orofaciais;
  • Quadros graves de sinusite, que podem causar complicações para a saúde e qualidade de vida do paciente

Como é realizada a sinusectomia?

A sinusectomia é realizada por videoendoscopia, sem cortes ou cicatrizes. O procedimento é feito com o paciente anestesiado e em ambiente hospitalar. O cirurgião insere pelas narinas do paciente um endoscópio com uma câmera acoplada na ponta para visualizar os seios da face.

Ao identificar os canais estreitos que conectam os seios ao nariz, ele amplia esses canais, melhorando a drenagem da região. Dependendo do caso, pode ser necessário aliar a sinusectomia a procedimentos adicionais, como septoplastia ou a turbinectomia. Caso o paciente apresente polipose nasal, lesões suspeitas ou tumores, essas formações são removidas durante a intervenção e enviadas para análise patológica.

O paciente recebe alta entre 12 e 24 horas após a cirurgia e não é necessário o uso de tampões.

Cuidados no pós-operatório da cirurgia de sinusite

Geralmente, o paciente pode retornar às suas atividades após 7 dias da sinusectomia. No período de recuperação é recomendado:

  • Evitar tocar no nariz;
  • Lavar o rosto apenas com água fria;
  • Não assoar o nariz;
  • Ao tossir ou espirrar, deve-se manter a boca aberta;
  • Tomar todos os medicamentos prescritos pelo cirurgião;
  • Evitar o consumo de alimentos e bebidas muito quentes nos primeiros dias após a cirurgia;
  • Evitar se expor ao sol;
  • Lavar o nariz com soro fisiológico de forma abundante, conforme orientação médica;
  • Não praticar exercícios físicos até a liberação médica.

Apesar de raras, podem surgir complicações como sangramentos, infecções e até mesmo lesões na região. O acompanhamento clínico nos meses seguintes à cirurgia é fundamental para identificar possíveis intercorrências.

Cuidados para aliviar os sintomas da sinusite

  • Beba bastante líquido (pelo menos dois litros de água por dia);
  • Mantenha o ambiente sempre limpo, evitando o acúmulo de poeira;
  • Lave seu nariz como solução de soro fisiológico com spray ou seringa várias vezes ao dia quando estiver em crise;
  • Evite ficar muito tempo em ambientes com ar-condicionado, pois além de ressecar as mucosas e dificultar a drenagem de secreção, este aparelho pode disseminar agentes infecciosos, como fungos, que contaminam os seios da face;
  • Faça compressas quentes no rosto e durma com a cabeça elevada para ajudar na drenagem das secreções.

A sinusite é uma doença de grande incidência e é importante procurar ajuda médica especializada se os sintomas não melhorarem com os tratamentos convencionais para o correto diagnóstico e tratamento, pois o manejo inadequado da sinusite pode torná-la crônica. A Rinoclínica é um centro especializado em otorrinolaringologia adulto e pediátrico que dispõe de profissionais capacitados a realizar consultas, exames e cirurgias na área de ouvido, nariz e garganta. 

 

Fontes:

Ministério da Saúde;

Rinoclínica;

Associação Brasileira de Otorrinolaringologia;

Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial.

Marque sua consulta conosco!

A Rinoclínica é um centro especializado em otorrinolaringologia, em Porto Alegre – RS especialistas em exames e cirurgias na área de ouvido, nariz e garganta